Povos e Línguas de Angola

No Continente Africano, as línguas dividem-se em quatro grandes famílias: Afroasiática, Nilo-Sahariana, Niger-Congo e Khoisan. A Niger-Congo, inclui numerosos grupos para sul do Sahara, com destaque para os Bantu, a sul do Equador.

Khoisan são as línguas faladas com estalinhos, pelos Pigmeus, Hotentotes (do holandês hotteren-totteren , que significa balbucear), Bosquímanos, Vuacancalas ou Mucancalas, como são conhecidos em Angola.

Migrações de povos Bantu em Angola Alguns dos reinos anteriores ao domínio colonial

O radical ntu, vulgar para a maioria das línguas Bantu, significa homem, ser humano e ba é o plural. Assim, Bantu significa homens, seres humanos.
Não existe uma raça Bantu, mas sim um povo Bantu, comunidade cultural com uma civilização comum e linguagens similares.

São nove as nações bantu de Angola, correspondendo a cada uma delas uma língua diferente:


Nação Idioma População em Angola
Bakongo Kikongo 1.680.000
Mbundu (ou Ambundu) Kimbundu 3.280.000
Lunda-Tchokwe Tutchokwe 573.000
Ovimbundu Umbundo 4.970.000
Ganguela Tchiganguela 183.000
Nhaneka-Humbe Lunhaneka 473.000
Herero Tchiherero 120.000
Ovambo (ou Cuanhama) Ambo 450.000
Donga Xindonga -

Distribuição actual dos povos de Angola


A principal característica das línguas Bantu é o facto do feminino, masculino, singular e plural serem feitos por meio de prefixos (em vez de sufixos, como acontece nas línguas europeias.)

As vogais são sempre abertas, as palavras arrastadas, como se fossem cantadas, qualquer «m» ou «n» a iniciar uma palavra, seguido de consoante, não se deve pronunciar. É como se fosse um til, daí que tenham surgido, por exemplo, vocábulos como Angola derivado de ngola (rei) ou embondeiro derivado de mbondo (árvore).
O h é sempre aspirado, como em henda (graça, misericórdia).
O r é sempre brando e pode ser trocado por d ou por l.
O k substitui sempre o q da língua portuguesa, bem como o c antes de a, o e u.
O g nunca tem o valor de j, mesmo antes de e ou i. Ndenge (mais novo) lê-se ndengue.
O som nh pode escrever-se como em português, embora haja quem escreva ni ou ny. Por exemplo, dikanha, dikania ou dikanya (tabaco).

O idioma Umbundu, Mbundu Bengela, Ovimbundu, Mbari ou Quindundu é utilizado por cerca de 5 milhões de pessoas da nação Ovimbundu , em Angola, principalmente na província de Benguela.

Os principais dialectos desse idioma são kimbailundu, kibié, kiuambo, kingalangui, kimbulu, kindulu, kingolo, kikalukembe, kisambu, kikekete, kaconda, kitatu, kisele, kimbui, kihanha, kinganda, chicuma, kidombe e kilumbu.



O Chinganji entre os va-nganda



Declaração Universal dos Direitos do Homem, Adoptada e proclamada pela Assembleia Geral na sua Resolução 217A (III) de 10 de Dezembro de 1948.
Ohuminyo Yoluali Yoku Tata Ovimuenyo Viomanu , Yataviwa kuenda ya tumbikiwa Lonjango Yinene kesokiyo lio ( 217 A III ) vita vivali kekui lepanduvali, kete liekui (10) kosayî ya Dezembro kulima wa 1948 - ohulukayî kovita ecea kakui akualã lecelãlã.
Defendida preservação das línguas nacionais foi defendida, em Luanda, pelo director do Centro Cultural Agostinho Neto, Domingos Lopes.
Exposição no Lobito de artesanato ovimbundo O Museu de Etnografia na cidade do Lobito, província de Benguela, apresentou ao público peças de artesanato que retratam os usos e costumes do povo ovimbundo.



informação baseada em:
http://www.ikuska.com/Africa/Etnologia/Pueblos/
http://www.angolanos.net/
http://www.fixed-odds.org/ovimbundo/
http://www2.ebonet.net/vkajibanga/tradicaoculturas.html - Victor Mário Chicua Kajibanga
Iniciação à História - Ensino de Base 4ª Classe

Actualizado no dia 18 de Junho de 2006